18.1.05

Garça Real

Dos pés masculinos pode-se sempre supor o pior, sem que isso tenha qualquer relevância. É admissível encontrar um homem descalço em qualquer contexto, seja ele adequado ou não, e resolver o assunto recorrendo ao paternalismo. Dos pés masculinos não se espera (ou eu não espero) qualquer graciosidade, e muito menos civilidade. São um caso irremediavelmente perdido.

Dos pés femininos já não se pode dizer o mesmo. Há uma responsabilidade de conjunto que vem associada ao sexo. Não é sustentável uma mistura de cabelo luminoso com pés gangrenados ou qualquer outro tipo de miscelânea hedionda que só pode resultar numa desagregação da mulher como entidade superior.

Sendo injusto exigir de um pé qualquer tipo de magnificência, o mesmo não acontece com a sua proprietária. Essa magnificência passa também por saber em que circunstâncias é admissível apresentar uns cotos desnudos e se essa condição traz algo de grandioso ao todo ou se, pelo contrário, se limita a chacinar qualquer volúpia dormente.

Eu arriscaria dizer que, fora do areal, o penante feminino totalmente descoberto só pode prejudicar a rapariga que o carrega, mesmo tendo em conta alguns acessórios imorais que se usam nas nossas ruas, mas sobretudo considerando as potencialidades quase ilimitadas do par de sapatos certo, nos pés da rapariga certa.

Enfim, tudo isto para dizer, sem punchline, que sim, tenho uma relação problemática com pés femininos descalços.

2 Comentários:

At 10:10 da manhã, Blogger Victor Lazlo disse...

O famoso fetiche dos pés também me é incompreensível. Mas confesso que a recente moda das sandálias foi a nemesis da minha ex-repulsa natural por pés.

 
At 6:49 da tarde, Blogger cafajeste disse...

Tb eu tenho uma relação difícil com os pezinho femininos... Se a mulher é perfeita e os pés não a acompanham, desmoralizo.

Abraço

 

Enviar um comentário

<< Home