8.3.05

Sucedâneos

Houve um tempo em que tentávamos ser grandiosos: descobrir continentes, construir civilizações, dizimar exércitos a cavalo. Hoje em dia, estamos reduzidos à eficiência. Queremos sobretudo não errar, não desperdiçar, não desiludir. Deixámos de querer ser deuses, agora basta-nos ser um computador.

4 Comentários:

At 6:07 da tarde, Blogger BlueShell disse...

Se o Camões nos visse hoje...morria de desgosto...
Faço anos, hoje...

Mudando de assunto
Um favorzito, please:

Preciso de um votozito lá no http://peciscas.blogspot.com/ ...para o melhor nick! PLEASE...
Jinho, BLUESHELL

 
At 6:42 da tarde, Blogger Victor Lazlo disse...

Sim, sim, isso é muito bonito mas eu prefiro correr apenas o risco de levar um raspanete do chefe do que ficar sem um braço na batalha de Alcácer-Quibir.
E todos sabemos como acabou o super-homem de Nietzsche: com uma cirrose e a comer a sopa dos pobres.

 
At 7:41 da tarde, Blogger FDV disse...

obrigado pela apreciação do meu registo.

cumprimentos.

 
At 12:57 da tarde, Blogger O Silva disse...

Victor: Eu também prefiro, por isso é que estou aqui, anónimo, a escrever num blog, em vez de estar lá fora a construir civilizações (ou, mais singelamente, a fazer pela vida). O pior disto tudo é que suspeito que mesmo assim, (ou talvez por isso mesmo), vou acabar com uma cirrose e na sopa dos pobres...

 

Enviar um comentário

<< Home