20.6.05

Desproporção

Assassinei dois coelhos, a caminho de Mértola. Aliás, um deles limitou-se a usar o meu carro para se suicidar, só o segundo é que foi assassinado. Passei-lhe por cima com o pneu enquanto ele estava momentaneamente cego pela luz dos meus faróis. Já levemente traumatizado, evitei por um triz abreviar a vida a um terceiro que ziguezagueou pelo alcatrão a alguns centímetros do meu pára-choques. É esta a selvajaria que nos espera quando evitamos as auto-estradas: perfeitamente inadaptados no meio da natureza somos forçados à crueldade para chegar a casa. Andamos demasiado rápido, protegidos por uma carcaça demasiado severa para não deixar cadáveres para trás.

6 Comentários:

At 12:34 da manhã, Blogger jorge disse...

tive essa experiência há uns tempos. não gostei nada.

 
At 3:23 da manhã, Blogger Maria Inês disse...

Antes um coelho, que se reproduz com facilidade (piadinha fácil à laia de ditado popular). Cães, gatos e sabe-se lá mais o quê sempre deixam mossa no carro e criancinhas a chorar.

 
At 11:23 da manhã, Blogger Victor Lazlo disse...

Maria Inês, obrigado por essa demonstração da tão afamada sensibilidade feminina.

 
At 1:16 da tarde, Blogger jMAC disse...

gosto mais de atropelar velhas!

 
At 2:36 da manhã, Blogger Maria Inês disse...

Victor, andas a confundir sensibilidade feminina com a teoria da donzela indefesa ou o famoso "medo das aranhas", à falta de melhores termos.
Isto é, antes, sentido prático. Ou não é isso que todas temos? :)

 
At 12:54 da tarde, Blogger O Silva disse...

É isso mesmo, Maria Inês, o que se quer hoje em dia são mulheres "reais". :)

 

Enviar um comentário

<< Home