22.6.05

Recalcamentos

É possível inventar múltiplos pretextos para se migrar da vodka limão para a vodka tónica. Pretextos plausíveis como o facto de deixar de ser razoável, a partir de uma certa idade, embebedar-se misturando um álcool virginal e refrigerantes de marcas dóceis como Trinaranjus, ou argumentando que há algo de intrinsecamente fleumático na designação "vodka tónica", que explica mudanças de hábitos só por si. Enfim, com alguma criatividade não há limites para a pose.

No meu caso, fiz a transição por comodidade: qualquer barman do mundo percebe um pedido de vodka tónica. As possibilidades de incompreensão reduzem-se à parte "tónica" da coisa, já que vodka é universal, e mesmo nesta situação há marcas globais que servem de sucedâneo para a fluência na língua local. A vodka tónica é um esperanto personalizado. In more ways than one, como dizem os outros.

4 Comentários:

At 12:21 da tarde, Blogger clô disse...

Já nem o saneamento dos nomes globais é sagrado. Um gajo pede vodka tónica em qq parte do mundo, e espera que seja um porto seguro, uma certeza ancorada numa viagem de incertezas, e ainda se depara com o insulto de ter que dizer quase sempre "mas tónica de garrafa por favor".

 
At 5:14 da tarde, Blogger O Silva disse...

Isso é bem verdade, clô. Enquanto escrevia o post também estava a pensar nisso, no problema da qualidade. Não sei se a variância qualitativa das águas tónicas será maior ou menor do que a dos Trinaranjus e afins. Se calhar é exactamente igual, mas pedir "lemon juice" ou algo semelhante, é coisa para dar pior resultado do que uma água tónica má.

 
At 5:32 da tarde, Blogger jMAC disse...

álcool virgem: vodka-martini!

 
At 1:47 da manhã, Blogger Anna disse...

Tb costumo migrar de uns driks para outros de tempos em tempos....acho q muito a ver com mudanças que vêem daqui de dentro...hehehe....legal seu blog..bj

 

Enviar um comentário

<< Home