11.4.05

Pulsar II

Houve igualmente uma altura em que não almoçava todos os dias. Trocava almoços por CDs, e CDs por dores de estômago. Continua a ser a única música no fio da navalha que consigo tolerar: uma música anónima, que me vai ralando com ternura.

2 Comentários:

At 2:39 da tarde, Blogger Afonso Henriques disse...

Alturas há em que a essência do que sou é tão densa e pesada que, ao vislumbrar isso, dicilmente posso comigo,e é a custo que avanço.

 
At 6:32 da tarde, Blogger jMAC disse...

eu media o custo de vida em cd's. tb n almoçava, n tinha dores, mas hoje tenho uns 2500 cd's. ´
é mesmo vício

 

Enviar um comentário

<< Home